Mais uma vez a casa legislativa de Luís Eduardo Magalhães dá um mau exemplo de gestão neste final de 2021. Além da polêmica e questionável reforma de quase R$7 milhões aprovada no apagar das luzes de dezembro passado, agora veio a público o vergonhoso valor do duodécimo devolvido pela Câmara Municipal, referente ao exercício do ano passado.

Apenas como referência, no ano de 2020 a Câmara Municipal repassou ao Executivo, a título de devolução, um total de R$ 3.589.605,63, com repasses que aconteceram entre 25/11 e 30/12 de 2020. Em 2021, ao final do primeiro ano do mandato do vereador Fernando Fernandes, a Câmara está devolvendo apenas R$ 540.000,00.

O que se questiona é aonde foi parar essa diferença de R$ 3.049.605,63. Que tipo de investimento é mais importante do que o bem estar da população, já que este dinheiro pertence de fato a ela? É importante que o presidente da casa tenha uma boa justificativa para o destino deste recurso.

Em Barreiras o cenário é outro

Na manhã do último dia útil de 2021, o prefeito Zito Barbosa, recebeu em seu gabinete a visita do presidente da Câmara, Otoniel Teixeira, para formalizar a devolução ao Executivo de R$ 2.457.783,30 que foram economizados dos recursos do duodécimo.

Em 2020 foi repassado cerca de R$ 1.400.000,00, o que representa um crescimento significativo no repasse de 2021. O valor devolvido deverá ser destinado para a construção de mais uma ponte sobre o Rio Grande.

É importante destacar que essa relação de cooperação entre os poderes, apesar das suas diferenças, faz com que a população seja beneficiada. Mais uma prova que as politicagens promovidas pelos legislativos em nada contribuem para a sociedade.